blog da Jac


amar é para os fortes

15/06/2013 19:19

Em seu livro, O Amor é para os fortes, Marcelo Cezar, pelo espírito de Marco Aurélio, fala da diferença entre o apego e o amor. Obra espírita, muito envolvente, que prende nossa atenção desde o início do livro.

“Algumas pessoas acham que amar é chorar, sofrer, fazer tudo pela amada (o) sem respeitar as próprias escolhas.”

Ele evidencia que não existe a relação perfeita e sim a possível.

Ele fala também das pessoas que são dependentes emocionais. Elas acreditam que aquele que escolheram para amar será a sua tábua de salvação, entregam o seu poder, a sua vontade ao outro assim, num estalar de dedos.

Aproveitei este tema e fui buscar um pouco mais a respeito do amor, segundo o espiritismo...

Apego é a não-aceitação da impermanência das coisas. Na Terra nada se perpetua, somente a alma é imortal.

O apego é a memória da “dor” ou do “prazer” passado, que carregamos para o futuro. Atrás de cada sofrimento existe um apego. Quando temos algo querido ou pensamos ter a posse de alguém que muito amamos, sofremos ao nos separarmos dele. O ciúme é o resultado do apego (medo de perder).

O desejo e o apego, privados de consciência reflexiva, estreitam nossa visão de felicidade, descartando novas possibilidades de uma vida pacífica e alegre.

É preciso perceber a diferença entre o “amor real” e a “relação simbiótica”, ou mesmo o “apego familiar”. A realização espiritual não está em nos apegarmos egoisticamente aos entes queridos, e sim, nos interagirmos fraternalmente, uns com os outros. http://espiritananet.blogspot.com.br/2008/01/reflexes-sobre-o-apego.html

 

 

É tempo de começarmos a refletir a respeito do amor na Terra, que não se trata de abraços, beijinhos, afagos. Essa é uma dimensão do amor, do afeto conjugal, do amor fraternal. O amor é muito mais amplo. http://www.feparana.com.br/vida_valores.php?cod_item=433

Amar, no sentido profundo do termo, é ser leal, probo, consciencioso, para fazer aos outros aquilo que se deseja para si mesmo. É buscar em torno de si a razão íntima de todas as dores que acabrunham o próximo, para dar-lhes alívio. http://evangelhoespirita.wordpress.com/capitulos-1-a-27/cap-11-amar-o-proximo-como-a-si-mesmo/instrucoes-dos-espiritos/i-a-lei-do-amor/

O amor no estágio egoísta. É mantido pela exagerada importância que a pessoa faz de si mesma, colocando-se como o centro das atenções. Ela ama mas, o mais importante, é o que ela sente ou deseja, e não o que a pessoa amada sente ou deseje. Infelizmente, a maioria de nós ainda apresenta esses dois níveis.

 O amor amadurecido. As pessoas que já atingiram esse nível colocam o outro como o ser mais importante. Já sabem compartilhar, repartir, conceder, dimensionar as necessidades daqueles a quem amam. Não se sentem diminuídos, nem humilhados, ao ceder em favor da felicidade de seus amados. Preocupam-se mais em amar do que sentirem-se amados.

Não há uma linha divisória entre esses níveis. Em nossas relações habituais, no dia a dia, seja em família, no trabalho ou na vida social, eles se confundem, conforme as situações enfrentadas ou as pessoas com quem nos relacionamos. Resta saber, portanto, qual desses três níveis é que mais nos caracteriza.
Mas ainda há um nível de amor: aquele exemplificado por Jesus. É o nível mais alto a ser atingido. Jesus era o próprio amor, amadurecido, gerando frutos, deixando sementes. Ele é a própria mensagem de amor... Esse é o nível ao qual devemos aspirar.

Verificando na frase de Emmanuel que somente o amor verdadeiro não se cansa, isso significa que, ao nos sentirmos cansados diante de alguma situação ou alguém, precisamos analisar se o sentimento que nos move em relação a esse alguém ou a essa situação é o amor verdadeiro. Somente esse sentimento, de natureza divina, é que nos dará a coragem necessária para continuarmos em frente, até que tudo se equilibre, em nós e ao nosso redor. O amor verdadeiro deve ser a motivação maior de nossa vida!

http://geak2002.blogspot.com.br/2010/10/o-exercicio-do-amor-verdadeiro-nao-pode.html

 

 

 Muitas pessoas pensam que ser fiel a si mesmo é se entregar aos seus instintos, desejos e viverem muitas aventuras, ser fiel a si é: quando eu digo que te amo, eu te amo, logo sou fiel ao meu sentimento. Quando eu amo, eu protejo, eu preservo sua imagem, eu cuido de você.

Texto: By Jacqueline

 

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!