blog da Jac


Nietzsche para estressados

17/11/2013 22:43

Nietzsche para estressados

Allan Percy, escreveu em seu livro que, quem tem uma razão de viver é capaz de suportar qualquer coisa.
  O problema de muitas pessoas insatisfeitas com sua existência é que elas não pensam na vida que gostariam de viver. E a primeira condição para encontrar-se é saber aonde se quer chegar. Nietzsche destaca a importância de se buscar uma "razão de viver". Quando nossa vida se torna plena de sentido, de uma hora para outra os esforços já não são cansativos, e sim passos necessários em direção à meta que estabelecemos.
Ele fala também que, o destino dos seres humanos é feito de momentos felizes e não de épocas felizes. A negação da tristeza dispara o consumo de antidepressivos e a busca de psicoterapias e nos leva a adquirir coisas de que não precisamos. Não exibir um sorriso permanente parece ser motivo de vergonha.
  Segundo Nietzsche a felicidade vem em lampejos e que tentar fazer com que ela dure para sempre é aniquilar esses lampejos que nos ajudam a seguir em frente no longo e tortuoso caminho.
  O estresse não nasce das circunstâncias externas, mas da interpretação que fazemos delas. Talvez o segredo da felicidade seja deixar de nos preocuparmos com fatores e estatísticas que não dependem de nós e nos divertimos mais.
  Eu achei fantástica essa colocação de Nietzsche, descrita por Allan Percy... Nosso tesouro está na colmeia de nosso conhecimento. Estamos sempre voltados a essa direção, pois somos insetos alados da natureza, coletores do mel da mente.
  Já maharshi descrevia da seguinte forma a viagem às profundezas do nosso interior:
  Assim como o pescador de pérolas prende uma pedra na cintura e desce ao fundo do mar para buscá-las, cada um de nós deve se munir de desapego, mergulhar dentro de si mesmo e encontrar sua pérola.
  Para encontrarmos essa pérola não é preciso peregrinar à Índia nem se entregar a complexos exercícios espirituais. Basta olharmos tranquilamente para o nosso interior.
  Nietzsche nos dá o seguinte conselho: é inútil querermos ser bons o tempo todo e fazer tudo certo- o que importa é estarmos dispostos a fazer um pouco melhor hoje do que fizemos ontem.
  A palavra japonesa wabi-sabi define a arte da imperfeição: no que é incompleto, irregular e antigo existem vida e beleza, pois aí está contido o desejo que a natureza tem de aprimorar a si mesma.
  Segundo Percy Os verdadeiros desbravadores devem estar sempre dispostos a percorrer sozinhos boa parte do caminho. Em algum momento você terá  medo, mas a consciência de sua própria força será compensadora. Como dizia Nietzsche: "ser independente é para poucos. É um privilégio dos fortes. "
  Viktor frankl  referindo-se ao conceito budista de dor e de sofrimento, ele afirmou: "Mesmo que não esteja em suas mãos mudar uma situação dolorosa, é sempre possível escolher a forma de lidar com o sofrimento."
  O chamado "caminho do meio" é um dos pilares do budismo. Para Siddhartha Guautama, a felicidade e a ausência de problemas estão em saber encontrar o ponto equidistante entre o fácil e o difícil, o superficial e profundo, o prazer e a dor.
Quem busca extremo corre o risco de passar da virtude à maldade, como adverte Nietzsche, já que as paixões costumam levar a ações desmedidas.
  "Preciso de companheiros, mas de companheiros vivos, não cadáveres que eu tenha que levar nas costas por toda parte.”
    Para querer ser sábio, é preciso querer experimentar certas vivências.  Nietzsche dizia: quem entrou e saiu do inferno pode guiar outras pessoas com mais sabedoria do que quem levou uma vida sem sobressaltos.
  Achei fantástico o que ele escreveu sobre a conclusão do cineasta Paul Auster :
  Dizem que é preciso viajar para ver o mundo. Às vezes acho que estando quietos em um único lugar, com os olhos bem abertos, somos capazes de ver tudo o que podemos usar.

  Você tem o seu caminho. Eu tenho o meu.
    O caminho correto e único não existe

Trecho de um poema de Robert Frost:
  Diante de mim havia duas estradas.
  Escolhi a estrada menos percorrida
  E isso fez toda a diferença.
Para M. Scott Peck, é provável que nossos momentos mais sublimes ocorram quando nos sentirmos profundamente abatidos, infelizes ou descontentes. É somente nesses momentos que, movidos pela insatisfação, seremos capazes de sair da trilha já percorrida e buscar respostas mais verdadeiras em outros caminhos.
  Segundo Henry David Thoreau,
. A pessoa mais rica é aquela cujos prazeres são os menos dispendiosos.
. Nossa civilização consiste em milhões de seres vivendo juntos, num espaço restrito, em total solidão.
. A natureza é o único local onde um ser humano pode se encontrar consigo mesmo.
. As coisas não mudam - nós mudamos.
. Seguir a trilha dos próprios sonhos e viver a vida que desejamos é garantia de sucesso.
. Investir em bondade é o melhor negócio que você pode fazer.

  Ele nos dá uma boa receita contra o tédio :
1. Abandone todos os compromissos desnecessários que não trazem mais que tédio e mau humor à sua vida.
2. Afaste-se pouco a pouco de todas as pessoas que se queixam o tempo todo e nunca lhe dizem algo realmente interessante .
3. Pergunte a si mesmo se o seu trabalho é estimulante o bastante ou se você poderia exercer outra atividade mais motivadora.
4. Recupere velhos projetos que sempre quis levar adiante, como aprender um idioma, tocar um instrumento, fazer um curso de teatro etc.
5. Altere as rotinas que regeram sua vida nos últimos anos, mesmo que seja só para experimentar.
6. Frequente outros ambientes, onde poderá conhecer pessoas diferentes.
7. Aprenda pelo menos uma coisa nova a cada dia.
8. Cometa uma pequena loucura de vez em quando.

  Gente este livro é fantástico, não dá para ficar só com esses pequenos trechos, vale muito a pena ler o livro todo, dá uma luz na nossa vida, nos faz buscar verdades e lutar por nossos ideais.

TEXTO: trechos retirados do livro de Allan Percy, Nietzsche para estressados.

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!